Tecnologia na Educação Infantil

  • 0

Tecnologia na Educação Infantil

É comum encontrar crianças que utilizam smartphones e tablets com destreza e facilidade impressionantes para a idade. O que preocupa muitos pais é se essa interação traz benefícios ao aprendizado da criança e estimula novas capacidades. A nutricionista Emanuelle Nogueres Couto acompanha a utilização de novas tecnologias no Colégio Equipe de Juiz de Fora com seus filhos, Valentina, de 7 anos, e Enrico, de 5. “É incrível como as crianças estão super antenadas com a tecnologia e cada vez mais ligadas nisso. O mais legal é elas terem o conhecimento desse mundo digital com um equilíbrio na utilização”. Para a professora de Informática do Colégio Equipe, Luana Gruppi, é muito importante que as crianças tenham contato saudável com essa tecnologia. “Estudos comprovam que há um aumento no rendimento escolar dos alunos se comparados com os que possuem apenas aulas expositivas. A nossa maior preocupação, além de transmitir o conhecimento que é exigido nas grades curriculares, é que essa aprendizagem tenha uma aplicabilidade prática, trazendo para dentro da sala de aula as novas formas de adquirir e transmitir conhecimento”.

Uma das novidades é a mesa digital, em formato touchscreen e com jogos educativos, utilizada de forma interdisciplinar em sala de aula, com a supervisão dos professores. A Coordenadora da Educação Infantil e Fundamental I do Colégio Equipe, Vanessa de Araújo Rodrigues, ressalta que essa interação desenvolve inúmeras habilidades nos alunos. “As mesas digitais e as aulas de informática estimulam o raciocínio lógico e a coordenação motora fina em conteúdos como matemática, cores primárias, vogais e consoantes”, explica. A professora enfatiza, ainda, a dinamização do aprendizado e o ambiente de bem estar que essa atividade proporciona. “As questões dadas em sala de aula e também trabalhadas com a mesa digital se tornam mais palpáveis, são vividas pelos alunos de forma integrada. E isso tem a ver com a própria natureza da educação infantil que é lúdica”.

QUALIDADE E TECNOLOGIA DESDE PEQUENOS
O Ensino Infantil é uma novidade no Colégio Equipe de Juiz de Fora que já atrai um número crescente de pais em busca de ensino integrado e de qualidade para seus filhos. Além de oferecer educação bilíngue, aulas de informática, artes, musicalização e brinquedoteca, o Colégio Equipe mantém uma relação estreita e aberta com os pais de seus alunos. De acordo com Emanuelle, a qualidade do ensino e o profissionalismo da instituição foram primordiais em sua escolha. “A gente busca um ensino de qualidade e um espaço que acolha, com pessoas de competência para conduzir, além da facilidade de acesso no dia a dia. O Equipe é uma escola que tem história e nós nos sentimos muito à vontade.” Para ela, a proposta do Equipe se encaixa no futuro que deseja para seus filhos. “A gente quer ver o bem estar deles e eu vejo neles a felicidade. Estamos estruturando a base e, assim, ficamos mais certos do sucesso no futuro”.


  • 0

Mágico de Oz participa do maior evento de aprendizagem na área de tecnologia do mundo

Pais e filhos juntos na Escola para programar softwares, aplicativos e games, soltar a criatividade e buscar soluções. Assim foi o evento global Hour Of Code (A Hora do Código) nas unidades Campo Belo e Olavo Bilac do Mágico de Oz, que contou com a participação especial de alunos “monitores” e famílias interessadas em aprender uma nova linguagem.

Durante a edição 2015, os alunos do Jardim II e Alfa (1º ano) demonstraram as habilidades adquiridas ao longo do ano, quando a programação computacional passou a fazer parte do currículo da Educação Infantil.

Essa turma mostrou que já aprendeu a ler e a escrever suas primeiras linhas de código em atividades que vão além da nova sala de tecnologia e dos Laboratórios de Informática. Também invadem a quadra e outros espaços, com o objetivo de desenvolver o raciocínio lógico, estimular a criatividade e o pensamento crítico.

A Hora do Código é um movimento mundial que começou nos Estados Unidos e hoje está presente em mais de 180 países. É importante reforçar que o objetivo da Escola não é preparar programadores profissionais ou pequenos gênios, mas provar que é possível, desde cedo, incluir a programação de uma maneira natural e intuitiva na rotina dos alunos.